Como escrever um currículo para área de TI

Você pode ter concluído um curso, ser auto-didata, estar desempregado ou só procurando um novo emprego na área de TI; quem quer que você seja, vai precisar do famoso Curriculum Vitae – ou currículo para a nova geração. E é este pedaço de papel (digital, na maior parte das vezes) que vai fazer toda a diferença, afinal ele é o primeiro contato entre você e o R.H. E é por isso que eu resolvi dar alguns toques para que o seu currículo se destaque no meio da multidão.

Pense em quem vai ler o seu currículo

Como todo material escrito, você precisa ter em mente quem é o seu público-alvo. Nesse caso, nas empresas em que valem a pena enviar o seu currículo, é o pessoal do RH. São pessoas de humanas e que não sabem escrever um IF. E não tem obrigação de saber mesmo! Então, cuidado com o que você vai escrever. Concentre-se nas palavras chaves e nos termos mais utilizados na área em que você pretende atuar. E se possível, tente utilizar de artifícios para destacar as informações. Um simples negrito já é suficiente para chamar a atenção. Mas lembre-se: se o R.H. não é técnico, quem vai fazer a entrevista com certeza é.

E pensar no pessoal de recrutamento também é organizar bem a informação.

Como organizar o meu currículo?

Muita informação não é saudável. Pode ter certeza que há uma pilha de currículos sendo avaliados. E eles serão avaliados sim! Mas quanto mais óbvia e organizada a informação, mais chances dela ser encontrada e corretamente selecionada. Pior do que uma leitura de currículo que não aconteceu é um processo seletivo para a função errada.

A minha sugestão de organização é: Apresentação; Objetivo; Pretensão salarial; Educação formal; Habilidades e competências; Experiência profissional; Publicações e participações em comunidades. A seguir quero falar particularmente de cada um desses pontos do seu currículo. O primeiro é:

Apresentação

Algumas pessoas gostam de incluir um texto corrido, apresentando-se a empresa. Particularmente não gosto dessa ideia. Prefiro deixar essa curiosidade para a entrevista. Mas se você quiser, pode. Contudo, não é dessa apresentação que estou falando. Neste estágio você deverá apresentar-se à empresa, comunicando o seu nome, endereço atual, formas de contato e se há disposição para mudança (ou viagem) conforme a vaga. Os dados pessoais também são importantíssimos. RG, CPF e Estado Civil fazem parte das informações imprescindíveis.

Antes que eu me esqueça, apresentar as redes sociais também pode ser uma vantagem. Mas apresente as redes que possam ter ligação com a sua profissão. Se você busca uma vaga de edição de imagens, por exemplo, indique o seu instagram. Desenvolvimento? Coloque o link para o seu GitHub. Coloque o link mesmo! Assim o pessoal responsável pela vaga poderá visitar e apreciar os seus códigos. Blogs também são bem vindos aqui.

Objetivo e pretensão salarial

Você pode ser bastante direto aqui. “Quero salvar o mundo, ajudando a empresa a alcançar os píncaros da vitória e do sucesso” é o tipo de discurso que você pode guardar para o momento da entrevista. Deixe claro nesse campo qual vaga (ou vagas) você está pleiteando. Algumas empresas pedem a pretensão salarial. Nesse ponto você pode informá-la. Antes, porém, faça pesquisas; procure saber a média de salarial na região da empresa em vista. Peça o valor que você almeja. Depois não vale reclamar.

Educação formal

Comece da maior graduação para a menor. Quando houver empate (se você tem duas pós-graduações, por exemplo), comece da mais recente. Também não é preciso colocar todo o seu histórico escolar. Onde você cursou o ensino médio – por mais que tenha sido no colégio Marista – realmente não é interessante. Pode começar do ensino técnico. Se houver empate – se você cursou o técnico duas vezes – informe apenas aquele tem maior contato com a área. Se você tem mestrado, especialização e bacharel, realmente o técnico não vai fazer diferença. Agora se apenas o nível técnico tem ligação com a vaga pretendida, ele precisa entrar no currículo. Uma boa desculpa para você estar mudando de área pode ser interessante. Empresas não abrem vaga pra “bico”.

E as outras educações, certificações, prêmios?

Você pode ter feito cursos na Udemy, Alura e outras plataformas. Não é vergonha estar se atualizando sempre. Coloque os dos últimos seis meses, e novamente, que tenha ligação com a vaga. Ganhou algum prêmio de destaque durante a sua formação? Também coloque no currículo. Mas só se forem significativas.

Falando em certificações… A certificação não é o seu nome! Você pode colocá-las logo embaixo (da recente para a mais antiga) da educação formal. Elas são importantes para contratação, mas não mais que a educação formal.

Habilidades e competências

Faça uma lista de todas as tecnologias/metodologias que você domina. As mais relevantes para a vaga, sempre primeiro. E informe também o seu nível de proficiência em cada uma delas (Iniciante, intermediário e avançado). Use e abuse das buzzwords e outras palavras-chave que você conheça. Que você REALMENTE conheça. Não participou de um curso sobre Clean Code, mas leu o livro e usa na sua vida? Coloque aqui.

Procure setorizar também. A vaga é pra Dev? Especifique as linguagens, especifique os bancos de dados que você conhece e por fim, categorize o que não tem categoria (photoshop, por exemplo). Não coloque fora de foco, também, as suas habilidades pessoais. Durante a sua história de vida, pode ter sido gerente de equipe, ou ter trabalhado com gente. Destaque as suas habilidades de trabalho em equipe, sua resiliência, curiosidade, perfeccionismo…

Experiência profissional

Nessa altura você já deve ter percebido que todas as listagens são do mais recente para o mais antigo e do mais relativo a vaga para o menos. O mesmo se aplica a experiência profissional. Não precisa contar a história inteira. Procure resumir as suas melhores experiências e reconhecimentos que possa ter alcançado durante o tempo que passou na empresa. Se teve um lugar em que o seu trabalho destacou mais, escolha essa experiência para investir a maior parte do texto. Essa diferença de tamanho irá chamar a atenção do recrutamento. E utilize o negrito para destacar as coisas mais legais que você fez. Negrite as palavras chave apenas.

Trabalho voluntário também é legal de anotar. Faça uma sessão específica pra ele, depois da experiência profissional. Não se esqueça de colocar o site e e-mail para que as referências possam ser consultadas.

Publicações e participação em comunidades

Caso algum artigo tenha saído na mídia, ou escreveu um livro, artigo em revista científica, informe a bibliografia. Pelo amor de Deus, no padrão ABNT! Saiu na web? Coloque o link. Só não precisa colocar o sitemap do seu blog. Quanto as comunidades, os eventos organizados por você vem em primeiro lugar e só então os que você palestrou. Não precisa colocar toda a lista de palestras. Comece das que tem maior projeção para as de menor (internacional, nacional, estadual, municipal); das formais (conferências, congressos) para as informais (meetups, eventos da empresa e etc). Escolha as de maior relevância ao cargo. Na entrevista você fala das demais.

Últimas dicas

Como você deve ter percebido, o currículo é orientado para a vaga. Você vai ter que fazer várias versões? Sim! Quanto mais adaptado à vaga pretendida, melhores chances de aderência. E para aumentar a aderência, estar em constante capacitação é importante. O recrutamento gosta de ver isso. Assim como também gosta de ver seu interesse em crescer profissionalmente. Não dá pra ser estagiário a vida toda. Experimente candidatar-se para vaga de júnior. Candidate-se para pleno! Seja consciente de onde você está e onde quer chegar.

A vaga tá querendo mil coisas? Não tem problema: candidate-se! A vaga está pedindo 10 anos de experiência em Flutter (que nasceu em 2015), mande o currículo! Algumas vezes a galera comete algumas gafes. Isso é normal. Se você não se candidatar, pode estar perdendo oportunidades. Como sempre dizem: O “não” você já tem.

Bom, por hoje é só. E se você estiver procurando um emprego na área de desenvolvimento, manda currículo pra mim! Assim eu consigo alguns pontinhos com o RH da empresa em que trabalho. Onde eu trabalho? Dá uma googlada por DB1 Group!

Sucesso pra vocês!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.